Com o tempo virado no feriado de sete de setembro, data oficial da prova, a mesma foi adiada para 10 de setembro de 1967. A preocupação de alinhar o tempo em condições satisfatórias para pilotos e público com a participação exclusiva de carros Fórmula Vê era a pauta importante.  

A colisão na Curva 3 atingindo vários carros Foto revista AE

São Paulo [SP] Curiosamente tinha 23 inscritos, mas só apareceram para o grid de largada 16 carros, sendo a maioria com chassis dos carros fabricados pelos irmãos Fittipaldi os Fitti-Vê e os Aranae como maioria, lembrando que no seu início a Fórmula Vê usava motor de 1200 cc VW.


O F-V #100, Aranae, da dupla Ricardo Achcar/Pedro Vitor de Lamare, que chegou em quinto lugar, perseguido pelo Aranae de numero 4 de Chico Lameirão/Élvio Ringel, chegando em quinto lugar Foto acervo Automóvel Club do Estado de São Paulo

O início da prova foi bem disputado, emparelhada mesmo, com uma alto grau de competividade já que o grid estava bem nivelado tanto por parte dos carros e dos pilotos. Os carros foram composto por duplas, e largaram na frente a dupla de sobrinho e tio, Cacaio e Marinho, seguidos da dupla Maneco Combacau e Jan Balder e da dupla Aylton Varanda e José Carlos “Toco” Martins. Puxando a outra fila vinha na cola “TotóPorto, Pace, Emerson e Chico Lameirão.


Depois de ser abalroado por outro carro, Wilson Fittipaldi tenta voltar a prova Foto revista AE

Com os carros andando muito próximos, com o acidente que aconteceu na Curva 3, com aproximadamente 50 minutos de prova, entre os carros da dupla Toco e Varanda encostou no carro de Cacaio que desgovernado bateu ainda em outro carro, de Cedidônio, que saiu da pista e bateu num barranco voltando para a pista acertando o carro de Wilson Fittipaldi.


Tótó Porto o vencedor da prova com seu Aranae em dupla com Bubby Loureiro Foto revista AE

A partir da volta 80 “TotóPorto assumiu a liderança da prova para não mais perdê-la. E ainda fez a melhor tempo de volta da prova na última passagem pela reta, dando assim a seguinte classificação. Em primeiro “Totó” Porto/Bubby Loureiro, de Aranae, em 3hs52min07seg, com 153 voltas à uma velocidade média de 128,9 km/h. Em segundo e terceiro predominaram os chassis Fitti-Vê, para Pace/Carol Figueiredo e Combacau/Jan Balder em terceiro.

Fontes acervo Automóvel Club do Estado de São Paulo/Livro Interlagos/Revista AE/Paulo Scali

Rolar para cima